terça-feira, 26 de julho de 2016

Os Ombros e as emoções

As dores nos ombros simbolizam todas as responsabilidades que carregamos, e, qualquer inflamação nessa área significa que os nossos superiores, ou as pessoas que exercem alguma autoridade sobre nós, não estão reconhecendo o nosso esforço. Não elogiam nosso trabalho, tomam para si nossas ideias, criam conflitos desnecessários, não colaboram conosco e, ainda, negam que estejam nos causando qualquer infortúnio. Isso gera uma ira tão forte, que chegamos a desejar golpeá-los inconscientemente. Às vezes, poderemos até assumir esse desejo pelas evidências do atrito.

A bursite é exatamente a inflamação das bolsas responsáveis pela articulação do ombro. Ela simboliza a prisão interna e conflitante do seu coração que está relacionada a algum superior. Uma vez que os ombros são responsáveis pelas tarefas e serviços de nossa vida, tudo aquilo que visar o bloqueio dos movimentos em nosso trabalho causará uma somatização, mostrando a amargura por não podermos desenvolver as ideias, a criatividade e o desempenho ideais.

Questione-se sinceramente a respeito disto e descubra se esse trabalho é realmente importante para você ou se ele propicia o seu desenvolvimento profissional e pessoal. Ajude seu inconsciente a compreender que alguma coisa deve ser mudada, tanto em sua conduta quanto na forma de expressar o seu serviço. Acreditar que os outros têm o poder de nos atar em nosso caminho é acreditar que somos mecânicos e que nosso conhecimento é limitado. Se a responsabilidade de cuidar da família faz você se sentir acorrentado, então está na hora de reformular e parar de assumir responsabilidades que não são suas. Dividir o trabalho e reeducar os entes do nosso convívio requer sabedoria, força de vontade, desprendimento, diálogos e fibra para, com amor, colocar cada um em seu devido lugar. Nós somos responsáveis pela carga que levamos em nossas costas, portanto, livre-se dela sem transtornos e reconhecendo que só conseguimos ajudar verdadeiramente as pessoas quando deixamos que elas conheçam seu potencial através do trabalho e cuidando de suas vidas.

Se seus ombros estão inclinados para frente, é porque estão se sentindo sobrecarregados e vítimas da fatalidade. Solte-se plenamente e acredite que, da mesma forma que você conheceu seu potencial, assim outras pessoas — pais, filhos, marido, esposa, etc. — também necessitam exercitar-se a fim de desenvolverem suas capacidades. Incentive-os positivamente mostrando-lhes as qualidades que possuem, mas que ignoram.
Quanto mais esperança você tiver, mais seus ombros se corrigirão.

Cristina Cairo - Linguagem do Corpo

Enviado por Wanda Ceila

3 comentários:

  1. De fato, Lisandra, quanto mal fazemos conosco quando nos ligamos tanto ao outro que esquecemos de nós. Depois que aprendi que o cuidado e a preocupaçao exagerada
    com o outro é pura prepotência, já que o julgamos incapaz de gerir a própria vida, literalmenre minhas dores nos ombros diminuiram muito. Bjs

    ResponderExcluir
  2. Helenildes,
    Penso que muitas vezes esta preocupação exagerada pode ser uma especie de projeção no outro daquilo que não conseguimos identificar em nós. Colocamos sobre o outro uma grande espectativa. No Seu trabalho sobre a auto-observação, que foi publicado na Escoladopensamento, tem uma formula que ajudaria muito as pessoas a se autoconhecerem e compreenderem porque fazem isso, e assim evitar muitas outras dores escondidas de baixo do tapete.

    abs

    ResponderExcluir
  3. Verdade, João. Costumamos transferir para o outro as nossas mais íntimas questões.

    ResponderExcluir

O fruto da vida

Acreditamos que Deus é todo poder, todo amor, toda verdade, toda justiça e toda harmonia, não é mesmo. Queremos manifestar sua grandio...