Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de Maio, 2016

Projeções da Mente Cósmica

A holografia é uma técnica de armazenamento de informação desenvolvida pelo físico húngaro Dennis Gabor em 1947, e que lhe rendeu o prêmio Nobel de Física de 1971. Uma maneira de gravar um holograma é utilizar um feixe de luz coerente, como um raio laser, e dividir o feixe em dois componentes. O primeiro deles incide em um objeto tridimensional, e é refletido em direção a uma placa fotográfica. O segundo componente do feixe serve como “referência”, e interfere com o primeiro na chapa fotográfica. Após revelar a placa fotográfica, obtém-se o holograma. Para reconstruir a imagem do objeto, basta lançar sobre o holograma um feixe de luz.  Com isso o observador tem a ilusão de ver o objeto, sob um certo ângulo. Se o observador se movimenta, a imagem aparece sob nova perspectiva, criando a nítida impressão de um objeto tridimensional. Cada ponto do filme holográfico recebe luz de todos os pontos do objeto. Nesse sentido, cada

A Transformação das Sombras

Gloria D. Karpinski afirma no seu livro “As sete etapas da transformação consciente” que a mudança nos convida à flexibilidade e ao risco e nos oferece o nascimento para uma nova realidade e a morte para aquilo que é velho. Quando apenas suportamos ou protestamos contra ela em altos brados, não aprendemos nada e adiamos o inevitável. Contudo, quando a aceitamos e nos entregamos, nossa vida se amplia e o novo conhecimento faz com que a nossa perspectiva passe do medo à afirmação da vida, porque vida significa mudança. A autora afirma que toda mudança tem um ritmo, e propõe um método em sete etapas para que o próprio indivíduo interaja com o processo de mudança e assim entenda o que se passa dentro e fora de si, passando a ser um agente colaborador da mudança e não um adversário dela. As sete etapas propostas pela autora são:  A forma, O Desafio, A resistência, O Despertar, O compromisso, A purificação e Finalmente a Entrega. Para a autora, toda mudança é um processo, e que po

As frequências humanas

Muitos cientistas têm estudado as ondas sonoras e as influências sobre a nossa vida. O Dr. Masaru Emoto ficou famoso quando demonstrou que os sentimentos poderiam interferir no aspecto das moléculas da água. A Numerologia já sabia disso há milênios. Um nome é um som e influencia a sua vida. Mas numa escala de frequências vibratórias, o ser humano pode captar entre 20Hz e 20.000Hz e as emoções e reações humanas vibram entre 20 e 700 Hz pra mais. Nessa escala, podemos verificar que o ser humano emite vibrações que variam com o seu estado de espírito. E elas são: 20Hz o estado da vergonha, 30Hz o da culpa, 50Hz a da apatia, 75Hz o do luto, 100Hz o do medo, 125Hz o do desejo, 150Hz a da raiva, 175Hz o do orgulho, 200Hz a da coragem, 250Hz a da neutralidade, 310Hz a da vontade, 350Hz a da aceitação, 400Hz a da razão, 500Hz o do amor, 600Hz a da paz, 700Hz pra mais, a da iluminação. Todas essas frequências foram obtidas em laboratório com voluntários. O que

Aprendi com Deus

Aprendi com Deus que ventos fortes nos fazem atravessar desertos como sementes, e voltamos flores. Aprendi com Deus que ninguém é tão pobre que não possa ajudar seu irmão em uma oração. Aprendi com Deus que palavras são folhas que voam feito pássaros, mas atitudes silenciosas são como árvores, que se fincam no chão, e ninguém arranca. Aprendi com Deus que até o céu tem seu tempo de Azul e de Cinza, de ventos e de sol, de luz ou de noite, que tudo dará certo no seu tempo. Aprendi com Deus que devemos amar uns aos outros,e Aprendi com Deus que acordamos todas as manhãs por que Ele é quem nos desperta com alegria para novas batalhas,novas vitórias... Aprendi com Deus que nada é por acaso,que para tudo e todos existe uma resposta. Aprendi com Deus, que não existe sorte, existe bênçãos, que somos frutos de um Amor sem igual e limites, e que a Fé nos faz abençoados todos os dias pelo zelo de Deus!*_ Rosane Luzia da Cruz Pinheiro 🙌🏻🙏🏻😊

Reflexos do Inconsciente

Segundo Connie Zweig e Jeremiah Abrams, no livro Ao encontro da Sombra, mais de uma década antes de Freud sondar as profundezas da natureza humana, Robert Louis Stevenson escreveu o caso do Dr. Jekyll e Mr.Hyde, um médico que após ingerir uma substancia, passava por uma drástica mudança de caráter, tão drástica que ele se tornava irreconhecível, realizando atos de maldades que jamais seria capaz de fazer. "O medico e o Monstro" se integrou-se de tal modo na cultura popular que pensamos nele quando ouvimos alguém dizer, "Eu não era eu mesmo", ou "Ele parecia possuído por um demônio", ou "Ela virou uma megera". Cada um de nós contém um Dr. Jekyll e um Mr. Hyde, uma persona agradável para o uso cotidiano e um “eu” oculto e noturno que permanece amordaçado a maior parte do tempo. Emoções e comportamentos negativos como raiva, inveja, vergonha, falsidade, ressentimento, lascívia, cobiça, tendências suicidas e homicidas, que ficam escondido