sábado, 8 de setembro de 2012

A Serenidade das Águas permite ver o fundo da Lagoa


 

Olhando a lagoa podemos ver a luz do sol refletida no espelho d’água cegar os olhos pelo seu reflexo.

 Mas se olharmos com mais serenidade e de outro ângulo, então a luz do sol não confundirá  mais a nossa visão e vemos o fundo da lagoa, as plantas, os peixes a sujeira e as impurezas, mas também vida e beleza. 

Somos um gigantesco Iceberg submerso em aguas geladas e turvas, do qual enxergamos apenas uma pequena parte que fica na superfície e a qual acreditamos seja a realidade.
A maior parte do nosso ser permanece encoberta de nós mesmos como a parte submersa do Iceberg ou inconsciente.

Formulamos o mundo segundo nossas crenças, percepções e  experiências armazenadas em nossa mente consciente e inconsciente.
Pensamos e agimos segundo impressões armazenadas em nosso inconsciente e não temos a exata noção daquilo que acontece conosco.

O mundo é para nós um grande espelho onde nos refletimos e nos reconhecemos.
O Mundo nos devolve aquilo que lhes oferecemos e assim nos refletimos nele sem o perceber.

Nada incomoda mais que ver suas próprias falhas refletidas nos outros. Fraquezas e medos que tentamos esconder e que o mundo insiste em nos revelar através de seus diversos espelhos.

É sempre mais fácil vermos o brilho do sol refletido no espelho d’água e mais difícil  vermos a realidade no fundo da lagoa, que poderia nos mostrar grandes impurezas.

É uma espécie de fuga da realidade, uma estratégia usada pelo nosso inconsciente para evitar o sofrimento de reconhecermos nossas fraquezas.

Viver olhando apenas para o brilho do sol é viver com óculos cor de rosa e enganar-se a si mesmo, adiando o confronto com os verdadeiros inimigos.

Estudos comprovam que a maioria das anorexias se sentem e se percebem com 14 quilos mais gordas do que realmente são, enquanto os obesos se percebem e se sentem com14 quilos mais magros.
 


Estes dados nos indicam que o mesmo artificio do inconsciente deve ocorrer com muitas outras dificuldades humanas pois para a maioria das pessoas que ainda não alcançou o equilíbrio e o alinhamento de suas forças internas uma nuvem de fumaça embaça e distorce a visão que ela tem do mundo e de si mesmo.

Conhece-te a Ti mesmo nos aconselham os Mestres.

 
É preciso captar a praticidade deste conselho.

Mas para aquele que busca sua própria verdade, haverá um momento de trazer  esta verdade a tona, verdades que muitas vezes  podem ser difíceis e duras, e para as quais ele precisa estar preparado para enfrentar e resolver definitivamente.


Sun Tzu no livro A arte da guerra nos diz que somente aquele que conhece a si mesmo e aos seus inimigos poderá vencer todas as batalhas. Fugimos dos conflitos porque inconscientemente sabemos que não estamos preparados para enfrenta-los.

Muitas vezes vivemos em uma falsa harmonia, cedendo quando deveríamos lutar e deixando o inimigo crescer e conquistar terreno até chegar ao ponto em que as verdades eclodem em forma de crise ou doença.

Enquanto ainda não tivermos atingido a capacidade de enxergar a verdadeira causa de nossos sofrimentos continuaremos a lutar contra falsos inimigos externos, que muitas vezes são apenas os nossos mestres ou apenas nossos cobradores.

Essa não pode ser jamais a atitude do discípulo que almeja o mestrado, pois ele precisa abrir os olhos e retirar a venda para enxergar o fundo da lagoa mesmo que ainda veja muitas impurezas.


É sobre esse caminho  que Pitágoras nos fala em um trecho dos  Versos Áureos 

 
Verás que a Natureza – O Céu há de mostrar-te – 
É em tudo semelhante e a mesma em toda parte.
Conhecendo-te a ti, senhor do teu Direito,
Vibrarás sem paixões teu coração no peito.

 
Primeiro é preciso alcançar o equilíbrio e domínio de suas energias internas e ser capaz de silenciar as aguas das emoções e o burburinho dos pensamentos. Ao equilibrar seus sentidos fica mais fácil perceber a natureza interna das coisas, vendo o fundo do lago porque as aguas estão mais serenas.

 
Mas não como o artista que vê apenas o brilho do sol e se confunde, não como perfeccionista que busca a perfeição e ignora as impurezas, não como aquele que mergulha nas aguas, ou como aquele que vê ora a parte externa do iceberg ora as sua parte submersa. Verás a montanha completa como  uma unidade com partes na superfície  e  parte submersa, unindo o visível ao invisível porque já enxergas com o olho que une os dois  hemisférios.

 
Não veras uma ilusão de coisas perfeitas, mas a beleza nas imperfeições e nas impurezas que estão em transformação e purificação.

 
Homem – verás que são os frutos próprios do homem
A mágoa que atormenta e os males que o consomem;
Porque a origem do gozo, a fonte da ventura
Que em si mesmo possui – Além de si procura.


Ao visualizar a unidade e integração do tempo e do espaço será capaz de  visualizar também as causas das situações atuais e prever as consequências das palavras e atos porque compreendeu as leis de causa e efeito. Não será como um homem de fé que acredita na lei ou que espera recompensas, mas como aquele que conhece porque viu e sentiu e sabe seus efeitos e confia na lei. Serás então cauteloso com suas palavras e atos e complacente com os erros alheios.


Bem poucos sabem ser felizes: compelidos 
Pelos desejos maus, joguetes dos sentidos,
Como baixel em mar sem fim, por entre pegos,
Assim os homens vão desnorteados e cegos.

Perceberás a causa do sofrimento humano, porque as pessoas são movidas por emoções e pela satisfação dos sentidos  e não conseguem ver a extensão e a consequência de suas ações acreditando em forças externas como responsáveis pelos acontecimentos de suas vidas.


Deuses ! Quisésseis Vós valer-lhes de onde estais !
Mas, não: Homem, teu ser provém dos imortais.

Surgirá então o desejo ardente de orientar as pessoas e conduzi-las a um porto seguro. Seu primeiro impulso será o de pregador de uma nova conduta e a tentativa de esclarecer as pessoas mostrando o caminho e a solução para todos os seus problemas.

Mas então perceberás que sabedoria infinita reservou a cada um conduzir sua própria historia e sua própria lenda pessoal. Somente o próprio Homem poderá Salvar-se e aprender com seus erros. Aprenderás então a não interferir e não impor suas verdades, respeitando o direito e o livre arbítrio dos outros.

 

Resta somente ajudar aqueles que caminham que pedem socorro e orientação.

 

Baseado no Livro Vida Perfeita.
Dr. Paul Carton

 

quarta-feira, 5 de setembro de 2012

A Maturidade do Irmao mais velho da Humanidade

A Integridade é reintegração, Re-ligare. Ligar todos os pontos e unificar-se como um todo. “Venha a nós o Teu Reino, Seja feita a Tua Vontade, Assim na Terra como nos Céus” , unindo a cauda com a cabeça, percorrendo cada um dos sete reinos, cada um dos sete pontos. Religare é tornar-se inteiro, sentir-se unificado e completo. As experiências de reunificação terão que ensinar a unir os pontos separados pela ilusão da consciência dupla e integrar a consciência em uma visão Unificada da realidade. Hemisférios separados para serem unificados, Centros de força que exprimem potencias diferentes de uma mesma realidade cósmica que somente a consciência é capaz de unir. A Criança terá que se tornar adulta, pois o anjo com suas asas não pode habitar o plano da realidade dura e concreta da vida cotidiana sem correr grandes riscos, assim como não podemos penetrar nas profundezas do oceano sem uma roupagem adequada. O Adulto terá que se tornar criança pois o reino dos céus precisa de leveza e pureza para flutuar e somente a linguagem inocente e dócil pode compreender seu significado. O irmão mais velho é aquele que teve que deixar de ser criança rapidamente e amadurecer por causa de suas grandes responsabilidades para com seus irmãos. As experiências nove desenvolvem o amadurecimento precoce. Amadurecer é estar pronto para dar frutos e transformar-se em semente permitindo que outras árvores possam surgir. É espalhar sementes de qualidade em terra fértil e contribuir para que os ciclos de evolução e transformação tenham continuidade. É Fazer nascer novamente a semente da criança adormecida no fruto quase apodrecido do adulto maduro...

sábado, 1 de setembro de 2012

A integridade da Família Cosmica

A busca da Integridade nos remete ao sentimento de Integração com tudo e com todos. A Percepção da Unidade Cósmica rompe a ilusão da separatividade e cria o desejo de Religar-se. Reconhecer-se implica em ver-se refletido nos outros e no mundo.

A Tétrade Sagrada nos mostra esta Unidade que se projeta na pluralidade através das três faces da pirâmide que se re-unificam na outra face. Do vértice a visão do um para o múltiplo, da base do múltiplo para o um.

Ao compreende-la se percebe que não há inimigos a vencer porque todos somos um só Eu fragmentado em varias percepções e dimensões diferentes. O Universo parece redesenhar-se diante dos olhos e corações e a busca desta unidade passa ser o desejo principal da vida.

Então não será mais possível se sentir superior ou inferior e a liderança será percebida como na lição dos gansos que se revezam e respeitam o líder que usa sensibilidade e harmonia com o grupo.

Aceitar ser guiado e saber ser parte de uma grande família onde os irmãos mais velhos tem mais experiência para nos orientar. Cumprir as idéias que vem do alto e trabalhar afinado,  como em uma corrida de revezamento onde todos ganham,  e mesmo aquele que chega na frente sabe que o resultado é de todo o time e não de um único individuo.

O trabalho ganha o sentido de prazer de servir e o dever de compartilhar suas forças e conhecimento para o progresso de todos  elimina o sentido negligenciar ou postergar por que o trabalho é voluntário e consciente e muitos dependem deste trabalho. A responsabilidade se sobrepõe ao prazer pessoal e ao cansaço.

As transformações serão evoluções dentro do ritmo e da vontade do Universo, expressa na orientação dos Irmãos mais velhos.

O sentimento de família Universal desperta o amor verdadeiro e abnegado pelo bem estar de todos tendo como recompensa reunir cada filho prodigo perdido nas aventuras da vida.

Também não faz sentido a critica aos erros e fraquezas alheias diante da compreensão das dificuldades encontradas e a lembrança de quanto se precisou de ajuda no caminho.

O conhecimento e progresso alcançado será então posto a serviço do trabalho de ajuda aos irmãos que estão na estrada.

Já se pode ver morro abaixo os peregrinos cansados, perdidos e desorientados e deseja-se alistar-se nas fileiras de trabalho de instrução ou de socorro, mas ainda com os pés sujos e a vista embaçada vendo enganosa  e ofuscante duplicidade que confunde e separa o sol da lua, o dia da noite...

abs a toda a familia,

sexta-feira, 31 de agosto de 2012

O espelho da vida - Mahatma Gandhi


Perguntaram a Mahatma Gandhi quais são os fatores que destroem os seres humanos.

Ele respondeu:

A Política sem princípios;
O Prazer sem compromisso;
A Riqueza  sem trabalho;
A Sabedoria sem caráter;
Os negócios sem moral;
A Ciência sem humanidade;
A Oração sem caridade.

A vida me ensinou que as pessoas são amigáveis​​ se eu sou amável,

que as pessoas são tristes se estou triste,

que todos me querem se eu os quero,

que todos são ruins se eu os odeio,

que há rostos sorridentes se eu lhes sorrio,

que há faces amargas se eu sou amargo,

que o mundo está feliz se eu estou feliz,

que as pessoas ficam com raiva quando eu estou com raiva,

que as pessoas são gratas, se eu sou grato.

A vida é como um espelho: se você sorri para o espelho, ele sorri de volta. A atitude que eu tome perante a vida é a mesma que a vida vai tomar perante mim.

"Quem quer ser amado, ame"

terça-feira, 21 de agosto de 2012

Experiencias Misticas - Não adianta bater na escuridão

Não adianta bater na escuridão, precisamos acender a luz, indo ao encontro do escuro e nebuloso , aceitando sua existência.

Caminhando no sentido oposto de nossas intenções alcançaremos o objetivo, nos diz o principio Hermetico, refletido no simbolo da cobra que morde o próprio rabo.

Penetrando fundo no escuro da noite encontraremos o raiar do dia.

O peregrino que caminha com fé pela estrada escura em busca do amanhecer é diferente daquele que permanece adormecido na escuridão e se protege dela porque a teme.

A consciência  deve ser a tocha que ilumina o caminho e a confiança o seu combustível.

Tememos o sensorial, o canto da sereia, e lhe impomos a vontade e isolamento.

Pela revelação do oculto poderá então surgir a verdade e a confiança.

Surge o risco da vaidade pelo conhecimento adquirido. Mas é melhor que ela se evidencie e mostre sua face pois assim podemos enfrenta-la.

Mais vale um Homem vestido com toda pompa orgulhoso de si   vivenciando e enxergando a fraqueza de sua alma do que um humilde pregador que esconde esta vaidade em trajes simples e palavras mansas.

Surge o risco da critica, do perfeccionismo e do preconceito e desprezo por aqueles que não alcançam elevados padrões de moral e pereccionismo no que fazem.

Surge o risco da separação do mundo em perfeitos e imperfeitos,  dos que permanecem adormecidos e dos que estão na peregrinação.

Mas estes males só se curam com a compreensão de que o todo está na parte e a parte está no todo, Que o perfeito e o imperfeito são facetas da mesma verdade, Que os opostos se tocam e se reconciliam em uma unica verdade.  Mas  para alcançar essa compreensão ainda temos muito o que caminhar.

Uma reflexão importante é buscar entender para que servem as experiencias misticas, o que elas curam e desenvolvem ?

A frieza dos sentimentos, o isolamento, a reflexão e busca da perfeição ajudam a desenvolver a concentraçao para penetrar no recinto interno e na essencia das coisas.

Quando a alma adquire dominio, aprende a entrar e sair do silencio em meio a agitaçao do mundo externo,  unindo o visivel ao invisivel, dispensando o isolamento, pois quem tem o auto-dominio não precisa do silencio.

Entao ela pode penetrar rapidamente em seu mundo interno sempre que for necessario buscar as respostas para para as questoes da vida pratica transformando em ajudando a melhorar sua vida e a vida das pessoas.






domingo, 29 de julho de 2012

O Ponto de Mutação

Este video filme faz um resumo do Livro O Ponto de Mutação de Frijof Capra que fala da grande mudança que vem ocorrendo na visão da fisica Quantica e da ciencia em geral, rompendo aos poucos com o paradigma cartesiano na visao de mundo e admitindo o Universo como um Todo Indivisível.


quarta-feira, 11 de julho de 2012

Nivel de Consciencia Transpessoal ( Fritjof Capra )

"... Um dos sistemas mais abrangentes para integrar diferentes escolas psicológicas é a psicologia de espectro, proposta por Ken Wilber. Ela unifica numerosas abordagens, ocidentais e orientais, num espectro de modelos e teorias psicológicas que reflete o espectro da consciência humana. Cada um dos níveis, ou faixas, desse espectro caracteriza-se por um diferente senso de identidade, indo da suprema identidade da consciência cósmica até a identidade drasticamente limitada do ego. Tal como em qualquer espectro, as várias faixas exibem infinitas tonalidades e gradações, fundindo-se
gradualmente umas nas outras. Não obstante, podem ser percebidos vários níveis importantes de consciência. Wilber distingue, basicamente, quatro níveis, que são associados a correspondentes níveis de psicoterapia: o nível do ego, o nível biossocial, o nível existencial e o nível transpessoal.

No nível do ego, a pessoa não se identifica com o organismo total, mas apenas com alguma representação mental do organismo, conhecida como auto-imagem ou ego. Pensa-se que esse self desencarnado existe dentro do corpo; assim, as pessoas dizem "Eu tenho um corpo", em vez de "Eu sou  um corpo". Em certas circunstâncias, tal experiência fragmentada do próprio self pode ser ainda mais distorcida pela alienação de certas facetas do ego, que podem ser reprimidas ou projetadas em outras pessoas ou no meio ambiente. A dinâmica desses fenômenos é minuciosamente descrita na psicologia freudiana.

Wilber chama o segundo nível da consciência em importância de "biossocial" porque representa aspectos do meio ambiente social de uma pessoa — relações de família, tradições culturais e crenças —, que estão mapeados no organismo biológico e afetam profundamente as percepções e o comportamento da pessoa. A influência preponderante de padrões sociais e culturais sobre o senso de identidade do indivíduo tem sido extensamente estudada por psicólogos voltados para o social, antropólogos e outros cientistas sociais.

O nível existencial é o nível do organismo total, caracterizado por um senso de identidade que envolve uma consciência do sistema corpo/mente como um todo integrado, auto-organizador. O estudo dessa espécie de autoconsciência e a exploração de todo o seu potencial é o objetivo da psicologia humanista e de várias psicologias existenciais. No nível existencial, o dualismo entre corpo e mente foi superado, mas dois outros dualismos subsistem: o dualismo sujeito versus objeto, ou self versus "o outro", e o de vida versus morte. As questões e os problemas decorrentes desses dualismos são uma importante preocupação das psicologias existenciais, mas não podem ser resolvidos no nível existencial. Sua resolução requer um estado mental em que os problemas existenciais individuais sejam percebidos em seu contexto cósmico. Tal percepção surge no nível
transpessoal da consciência.

As experiências transpessoais envolvem uma expansão da consciência para além das fronteiras convencionais do organismo e, correspondentemente, um senso mais amplo de identidade. Elas podem também envolver percepções do meio ambiente que transcendem as limitações usuais da percepção sensorial. O nível transpessoal é o nível do inconsciente coletivo e dos fenômenos que lhe estão associados, tal como são descritos na psicologia junguiana. É uma forma de consciência em que o indivíduo se sente vinculado ao cosmo como um todo e pode, assim, ser identificado com o conceito tradicional de espírito humano. Essa forma de consciência transcende freqüentemente o
raciocínio lógico e a análise intelectual, aproximando-se da experiência mística direta da realidade. A linguagem da mitologia, a qual  é muito menos restringida pela lógica e o senso comum, é freqüentemente mais apropriada para descrever fenômenos transpessoais do que a linguagem fatual. Como escreveu o pensador indiano Ananda Coomaraswamy, "o mito consubstancia a maior aproximação da verdade absoluta que pode ser formulada em palavras"

Na extremidade do espectro da consciência, as faixas transpessoais fundem-se  no nível do Espírito (Mind), de acordo com a denominação de Wilber. É o nível da consciência cósmica, em que a pessoa se identifica com o universo inteiro. Podemos perceber a realidade última em todos os níveis transpessoais, mas só nos tornamos essa realidade no nível do Espírito.

A percepção consciente, nesse nível, corresponde ao verdadeiro estado místico, no qual todas as fronteiras e dualismos foram transcendidos e toda a individualidade se dissolve na unicidade universal, indiferenciada. O nível do Espírito tem sido a preocupação preponderante das tradições místicas e espirituais do Oriente e do Ocidente. Embora muitas dessas tradições estejam cônscias dos outros
níveis e os tenham, com freqüência, descrito e mapeado em grandes detalhes, elas sempre enfatizaram que as identidades associadas a todos os níveis de consciência são ilusórias, exceto quando se trata do nível final do Espírito, onde a pessoa encontra sua identidade suprema.

Trecho extraido do Livro "O Ponto de Mutação de  Fritjof Capra pags. 348 e 349.

domingo, 8 de julho de 2012

A Mudança de Vibração Pessoal atraves das experiencias

Se temos um ritmo pessoal e se os ciclos mexem com nossos ritmos pessoais, então podemos imaginar que a vibração dos números de experiências de cada um dos ciclos tem o objetivo de alterar as nossas vibrações pessoais, elevando-as gradativamente ciclo por ciclo.

Sabemos que quando um copo de cristal é exposto a uma vibração elevada tende a se quebrar, porque suas moléculas vibram mais intensamente e o corpo rígido não tem como remodelar-se.


Mas se o copo fosse flexível e pudesse remodelar-se e realinhar-se com a nova vibração talvez  mudasse de forma.

Acredito que quando chegamos a este mundo, trazemos em nossa alma um padrão vibratório, fruto de nossas experiências acumuladas, de nossas crenças, medos, certezas e incertezas e que através deste padrão formamos nossos diversos corpos sutis.

Acredito que o objetivo das experiências e desafios seja modificar e elevar nosso padrão vibratório  para  um nível cada vez mais universal.

Através das  experiências podemos chegar a reflexão e mudança de padrão, que seria então transferida para os nosso inconsciente formando novas matrizes que definirão nossa forma e padrões de comportamento.

Não significa que a simples vivencia das experiências assegure esta transformação, pois isso vai depender de como as vivenciamos, porque  ao vivencia-las temos  a oportunidade de ver a vida sobre outro angulo e compreender as coisas de forma diferente libertando nossa alma de de medos, crenças e antigas prisões.

segunda-feira, 2 de julho de 2012

O RITMO DA VDA

“ ...Um outro aspecto intrigante da metáfora holográfica é uma possível relação com
duas idéias da física moderna. Uma delas é a idéia de Geoffrey Shew de que as
partículas subatômicas são dinamicamente compostas umas das outras, de tal modo que
cada uma delas envolve todas as demais; a outra idéia é a noção de David Bohm de
ordem implicada, de acordo com a qual toda a realidade está envolvida em cada uma de
suas partes.

O que todas essas idéias têm em comum é a noção de que a holonomia
— o ser total contido, de algum modo, em cada uma de suas partes — pode ser uma
propriedade universal da natureza. Essa idéia também foi expressa em muitas tradições
místicas e parece desempenhar um importante papel nas visões místicas da realidade.

A metáfora do holograma inspirou recentemente numerosos pesquisadores e foi aplicada
a vários fenômenos físicos e psicológicos. Lamentavelmente, isso nem sempre é feito
com a necessária cautela, e as diferenças entre uma metáfora, um modelo e o mundo real
são esquecidas, por vezes, na onda de entusiasmo geral. O universo não é,
definitivamente, um holograma, pois exibe uma multidão de vibrações de diferentes
freqüências; assim, o holograma pode freqüentemente ser útil como analogia para
descrever fenômenos associados a esses modelos vibratórios.

Tal como no processo de percepção, o ritmo desempenha um importante papel
nas várias maneiras como os organismos vivos interagem e se comunicam entre si. A
comunicação humana, por exemplo, tem lugar, em grau significativo, através da
sincronização e da interligação de ritmos individuais. Recentes análises de filmes
mostraram que toda conversação envolve uma dança sutil, e em sua maior parte invisível,
em que a seqüência detalhada de tipos de fala é precisamente sincronizada tanto com
movimentos ínfimos do corpo do locutor como com os movimentos correspondentes do
ouvinte.

Ambos os parceiros estão enlaçados numa seqüência intricada e precisamente
sincronizada de movimentos rítmicos que dura enquanto eles permanecerem atentos e
envolvidos em sua conversa. Um entrelaçamento semelhante de ritmos parece ser
responsável pela forte vinculação entre os bebês e suas mães e, muito provavelmente,
entre as pessoas apaixonadas. Por outro lado a oposição, a antipatia e a desarmonia
surgem quando os ritmos de dois indivíduos não estão em sincronia.

Em raros momentos de nossas vidas, podemos sentir que estamos sincronizados
com o universo inteiro. Esses momentos podem ocorrer sob muitas circunstâncias —
acertar um golpe perfeito no tênis ou encontrar a descida perfeita numa pista de esqui, em
meio a uma experiência sexual plenamente satisfatória, na contemplação de uma obra de
arte ou na meditação profunda.

Esses momentos de ritmo perfeito, quando tudo parece
estar exatamente certo e as coisas são feitas com grande facilidade, são elevadas
experiências espirituais em que todo tipo de separação ou fragmentação é transcendido.
Neste exame da natureza dos organismos vivos, vimos que a concepção
sistêmica de vida é espiritual em sua essência mais profunda e, portanto, compatível com
muitas idéias sustentadas nas tradições místicas. Os paralelos entre ciência e misticismo
não se restringem à física moderna, mas podem ser estendidos agora com igual
justificação à nova biologia sistêmica.

Dois temas básicos se destacam repetidamente ao
estudarmos a matéria viva e não-viva, sendo também amiúde enfatizados nos
ensinamentos dos místicos: a interligação e a interdependência universais de todos os
fenômenos e a natureza intrinsecamente dinâmica da realidade. Nas tradições místicas
encontramos também um certo número de idéias, menos relevantes ou pouco
significativas para a física moderna, mas cruciais para a visão sistêmica dos organismos
vivos....”



Trecho extraído do Livro : O ponto de Mutação de Fritijof Capra. pags. 281 e 282

Doutor em física pela Universidade de Viena.


sábado, 23 de junho de 2012


BIBLIOTECA VIRTUAL - LIVROS GRATIS PARA LER E BAIXAR

14 de Julho na Roça -Raul Pompéia
A Alma do Lázaro -José de Alencar
A Alma Encantadora das Ruas -João do Rio
A Ama-Seca -Artur Azevedo
A Brasileira de Prazins -Camilo Castelo Branco
A Carne -Júlio Ribeiro
A Carta de Pero Vaz de Caminha -Pero Vaz de Caminha
A Carta -Pero Vaz de Caminha
A Carteira -Machado de Assis
A Carteira -Machado de Assis
Primeiro Fausto -Fernando Pessoa
A Cartomante -Machado de Assis
A Cartomante -Machado de Assis
A Causa Secreta -Machado de Assis
A chave -Machado de Assis
A Chinela Turca -Machado de Assis
A Cidade e as Serras -José Maria Eça de Queirós
A Comédia dos Erros -William Shakespeare
A Dama das Camélias -Alexandre Dumas Filho
A Desejada das Gentes -Machado de Assis
A Desobediência Civil -Henry David Thoreau
A Divina Comédia Dante Alighieri
A Ela -Machado de Assis
A Escrava Isaura -Bernardo Guimarães
A Esfinge sem Segredo -Oscar Wilde
A Herança -Machado de Assis
A Igreja do Diabo -Machado de Assis
A Inglezinha Barcelos -Machado de Assis
A Mão e a Luva -Machado de Assis
A Megera Domada -William Shakespeare
A melhor das noivas -Machado de Assis
A Mensageira das Violetas -Florbela Espanca
A Metamorfose -Franz Kafka
A Moreninha -Joaquim Manuel de Macedo
A Mulher de Preto -Machado de Assis
A 'Não-me-toques' ! -Artur Azevedo
A Parasita Azul -Machado de Assis
A Pianista -Machado de Assis
A Princesa de Babilônia -Voltaire
A Relíquia -José Maria Eça de Queirós
A Segunda Vida -Machado de Assis
A Semana -Machado de Assis
A Senhora do Galvão -Machado de Assis
A Sereníssima República -Machado de Assis
A Tempestade -William Shakespeare
A Tragédia de Hamlet, Príncipe da Dinamarca -William Shakespeare
A Vida Eterna -Machado de Assis
A viúva Sobral -Machado de Assis
A Viuvinha -José de Alencar
A Volta ao Mundo em Oitenta Dias -Júlio Verne
Adão e Eva -Machado de Assis
Almas Agradecidas -Machado de Assis
Amor de Perdição -Camilo Castelo Branco
Anedota do Cabriolet -Machado de Assis
Anedota Pecuniária -Machado de Assis
Antes que Cases -Machado de Assis
Antônio e Cleópatra -William Shakespeare
Arte Poética -Aristóteles
As Academias de Sião
As Alegres Senhoras de Windsor -William Shakespeare
As Primaveras -Casimiro de Abreu
As Vítimas-Algozes -Joaquim Manuel de Macedo
Astúcias de Marido -Machado de Assis
Aurora sem Dia -Machado de Assis
Auto da Barca do Inferno -Gil Vicente
Balas de Estalo -Machado de Assis
Camões -Joaquim Nabuco
Canção do Exílio -Antônio Gonçalves Dias
Cancioneiro -Fernando Pessoa
Capítulos de História Colonial (1500-1800) -João Capistrano de Abreu
Cartas D'Amor - O Efêmero Feminino -José Maria Eça de Queirós
Cartas D'Amor -José Maria Eça de Queirós
Catálogo de Autores Brasileiros com a Obra em Domínio Público -Fundação Biblioteca Nacional
Catálogo de Publicações da Biblioteca Nacional -Fundação Biblioteca Nacional
CHARNECA EM FLOR -Florbela Espanca
Cinco Minutos -José de Alencar
Conto de Inverno -William Shakespeare
Contos Fluminenses -Machado de Assis
Contos -José Maria Eça de Queirós
Coriolano -William Shakespeare
Divina Comedia -Dante Alighieri
Do Livro do Desassossego -Fernando Pessoa
Dom Casmurro -Machado de Assis
Don Quixote -Miguel de Cervantes
Don Quixote. Vol. 1 -Miguel de Cervantes Saavedra
Don Quixote. Vol. 2 -Miguel de Cervantes Saavedra
Édipo-Rei -Sófocles
Esaú e Jacó -Machado de Assis
Espumas Flutuantes -Antônio Frederico de Castro Alves
Este mundo da injustiça globalizada -José Saramago
Eterna Mágoa -Augusto dos Anjos
Eu -Augusto dos Anjos
Eu e Outras Poesias -Augusto dos Anjos
Fausto -Johann Wolfgang von Goethe
Ficções do interlúdio: para além do outro oceano de Coelho Pacheco. -Fernando Pessoa
Hamlet -William Shakespeare
Helena -Machado de Assis
História da Literatura Brasileira: Fatores da Literatura Brasileira -Sílvio Romero  ~
Iliada -Homero
Iracema -José de Alencar 
Júlio César -William Shakespeare
Livro de Mágoas -Florbela Espanca
Livro do Desassossego -Fernando Pessoa
Lucíola -José de Alencar
Macbeth -William Shakespeare
Medida Por Medida -William Shakespeare
Memórias de um Sargento de Milícias -Manuel Antônio de Almeida
Memórias Póstumas de Brás Cubas -Machado de Assis
Mensagem -Fernando Pessoa 9.
Missa do Galo -Machado de Assis
Muito Barulho Por Nada -William Shakespeare
Noite na Taverna -Manuel Antônio Álvares de Azevedo
O Abolicionismo -Joaquim Nabuco
O Alienista -Machado de Assis
O Banqueiro Anarquista -Fernando Pessoa
O Cortiço -Aluísio de Azevedo
O Crime do Padre Amaro -José Maria Eça de Queirós
O Espelho -Machado de Assis
O Eu profundo e os outros Eus. -Fernando Pessoa
O Guarani -José de Alencar
O Guardador de Rebanhos -Fernando Pessoa
O Mercador de Veneza -William Shakespeare
O Navio Negreiro -Antônio Frederico de Castro Alves
O pastor amoroso -Fernando Pessoa
O Primo Basílio -José Maria Eça de Queirós
Obras Seletas -Rui Barbosa
Odisséia -Homero
Os Dois Cavalheiros de Verona -William Shakespeare
Os Lusíadas -Luís Vaz de Camões
Os Maias -José Maria Eça de Queirós
Os Sertões -Euclides da Cunha
Otelo, O Mouro de Veneza -William Shakespeare
Pai Contra Mãe -Machado de Assis
Papéis Avulsos -Machado de Assis
Poemas de Fernando Pessoa -Fernando Pessoa
Poemas de Ricardo Reis -Fernando Pessoa
Poemas em Inglês -Fernando Pessoa
Poemas Inconjuntos -Fernando Pessoa
Poemas Selecionados -Florbela Espanca
Poemas Traduzidos -Fernando Pessoa
Poesias Inéditas -Fernando Pessoa
Quincas Borba -Machado de Assis
Rei Lear -William Shakespeare
Ricardo III -William Shakespeare
Romeu e Julieta -William Shakespeare
Senhora -José de Alencar
Sonetos e Outros Poemas -Manuel Maria de Barbosa du Bocage
Sonetos -Luís Vaz de Camões
Sonho de Uma Noite de Verão -William Shakespeare
Tito Andrônico -William Shakespeare
Trabalhos de Amor Perdidos -William Shakespeare
Tudo Bem Quando Termina Bem -William Shakespeare
Utopia -Thomas Morus

Permitamos que a nossa Chama se torne um Sol Radiante

Nossa preocupação neste momento não deve ser apenas manter a nossa chama acesa, ou preservar aquilo que temos, mas sim permitir que  ela ...