Pular para o conteúdo principal

Os mistérios do tempo



Palestra Realizada no sábado dia 13 de Junho as 16:30 na Rua Campos Sales, 38 Tijuca

Os quatro tempos da Criação

Os mistérios do tempo

Uma grande reflexão sobre os ciclos naturais da vida a que todos estamos submetidos. Preparar a Terra, Plantar a Semente quando a terra está fértil,  Cultivar a terra para a Semente Germinar, e depois Colher o fruto maduro. Em seguida fizemos uma breve reflexão e debate de um filme que representa muito bem a ideia dos ciclos. "O Feitiço do Tempo" representado de forma brilhante por Bill Murray. Um novo dia amanhece e ele se surpreende porque  tudo se repete como na véspera. Para seu desespero, ele fica preso naquele dia que que tanto o incomodou e vivencia uma profunda transformação. Poderíamos ver estas repetições cíclicas como nossas vidas e a busca da transformação de nossos Karmas em Dharmas ?  Como sair do ciclo vicioso que nos envolvemos quando insistimos em manter as mesmas atitudes diante dos problemas?




Trailer do filme O Feitiço do Tempo

Nevou durante uma viagem a Punxsutawney, Pensilvânia, para cobrir as festividades do Dia da Marmota. O homem do tempo Phil Connors (Bill Murray) se vê preso no tempo, repetindo intermináveis vezes o dia 2 de fevereiro. Seu mundo é habitado pelas mesmas pessoas todos os dias, mas eles não sabem que o dia está se repetindo. Isso lhe dá uma certa vantagem. Ele pode descobrir o que uma mulher procura em um homem.

Os dias se repetem toda manha e o Pobre Phil vai aos poucos se transformando em uma pessoa melhor.  Temos aqui a oportunidade de vislumbrar não apenas os fatos repetitivos de uma única vida com as probabilidades de estarmos diante de sucessivas vidas, sendo cada dia uma nova encarnação. Phil Connors  representa não apenas a personalidade encarnada, mas a própria alma que reencarna a cada dia seguinte para superar seus karmas e mudar sua consciência espiritual.





Deixe seu comentário logo abaixo, sobre esta palestra e sobre o tema proposto. Participe do debate.



A palestra/debate foi incrível!
João, hoje percebi um outro aspecto muito interessante no filme Feitiço do Tempo: na fase em que Phil achou que era um Deus, a forma como ele queria provar isso é que ele sabia o nome de todo mundo (conhecer e nomear) e sabia a história de cada um (tinha a informação). Como a fase em que o ser humano ao adquirir conhecimento se sente um Deus e acha que está acima de todo o resto da criação...
Ele só se libertou do "feitiço" ao viver de forma desprendida, amorosa, criativa e alegre. Ele deixou de se sentir um Deus, para se sentir feliz por amar, sem se preocupar com o que aconteceria além daquele momento pleno de sentido.

Parabéns, João, e obrigada!

Comentários

  1. Silvia,

    Que bom ver que a semente caiu em solo fértil. Parece que quando abrimos mão daquilo que tanto desejamos e que julgamos ser merecedores é que na verdade merecemos recebe-lo pela graça de Deus, e não apenas pela nossa arrogância. Parabéns pelo seu interesse e pela sua participacao ativa. São estas demonstrações que nos animam a continuar a sementeira...

    Abs

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Gostou do texto?
Comente e compartilhe

Postagens mais visitadas deste blog

A vida é uma dança

Quando uma porta se fecha, outra se abre; quando um caminho termina, outro começa… nada é estático no Universo, tudo se move sem parar e tudo se transforma sempre para melhor. Habitue-se a pensar desta forma: tudo que chega é bom, tudo que parte também.  É a dança da vida… dance-a da forma como ela se apresentar, sem apego ou resistência. Não se apavore com as doenças… elas são despertadores, têm a missão de nos acordar. De outra forma permaneceríamos distraídos com as seduções do mundo material, esquecidos do que viemos fazer neste planeta. O universo nos mandou aqui para coisas mais importantes do que comer, dormir, pagar contas… Viemos para realizar o Divino em nós. Toda inércia é um desserviço à obra divina. Há um mundo a ser transformado, seu papel é contribuir para deixá-lo melhor do que você o encontrou. Recursos para isso você tem, só falta a vontade de servir a Deus servindo aos homens. Não diga que as pessoas são difíceis e que convivência entre seres humanos

A tríade Pensar, Sentir e Agir

Estes três vértices formam o triangulo magico da Criação, que envolve sempre Ideia, sentimento e ação. Existe uma estreita correlação entre eles , de tal forma que quando um deles é  acionado desencadeia reação nos demais. O pensamento gera sentimento, que provoca ação, a ação provoca sentimento e reflexão , o sentiment o dependente da criação mental e da iniciativa. Qual o motor que costumamos usar em nossas vidas? Ação desenfreada e irrefletida, rompantes destruidores sem a analise cautelosa da razão? Turbilhões de imagens mentais que incendeiam as emoções ? Sentimentos nebulosos de magoa ou paixões desenfreadas , confund indo a  a razão   e a  visão  da realidade? Os sábios antigos comparavam o homem com uma carruagem. O Cocheiro representa a mente, Os Cavalos Representam o coração e as emoções, A Charrete com sua mecânica, representa o Corpo Físico. Quem está no comando desta carruagem? A carruagem move-se desgovernada seguindo ladeira abaixo, carr

O Ritmo do Trabalho

Primeiramente gostaria de agradecer a todos que se interessam por esta leitura e dizer que tudo que falarei aqui é de minha inteira responsabilidade. São minhas crenças pessoais, fruto de meus estudos e reflexões, mas que não devem ser levadas como verdades absolutas, porque nem mesmo eu as tenho desta forma. Eu vos convido a refletir comigo, se permitindo o direito de observar pelo menos por alguns momentos, certas questões que serão apresentadas,  por uma visão diferente e talvez contraditória a sua própria visão. Durante todo este mês estaremos debatendo este tema e gostaríamos de convida-lo a deixar seus comentários e reflexões no final do texto clicando em novo comentário e acompanhar as respostas e sugestões dos demais. Não estranhem o fato de que teremos mais perguntas do que respostas, mais reflexões do que formulações prontas, pois as perguntas parecem contribuir mais para o aprendizado do que as afirmações. Quem de nós pode de fato afirmar alguma coisa,