Pular para o conteúdo principal

Diálogo Inter-Religioso" - além da ilusão

"A maioria dos habitantes do planeta declara-se crente."

Assim começa o vídeo "Diálogo Inter-Religioso" - via www.ovideodopapa.org.
Assista aqui: http://youtu.be/kZSCLTblHo8
 A mensagem é um chamado a colaboração entre todas as religiões - representadas no vídeo pelo Budismo, Judaísmo, Islamismo e Cristianismo. COLABORAÇÃO NA ORAÇÃO.

"Muitos pensam de modo diferente. Sentem de modo diferente", diz o Papa Francisco.

"Confio em sua oração", continua ele.
Imagino minha oração, sua oração, todas as orações; mentalizadas, cantadas, choradas, bradadas a plenos pulmões, sussurradas... Cada um "fazendo sua parte" e todos colaborando entre si. 
 
"Diálogo inter-religioso" fala de bem mais que tolerância. Com a força da imagem, e de poucas palavras, o vídeo vai da apresentação sumária (vestuário, ambiente, vocabulário) de cada um dos representantes religiosos, passando pelo "funil" fundamental - o Amor -, e se encerra na reunião de seus símbolos. Re-União inesperada e insólita. 
 
Que poder invencível se expandiria pelo mundo se ocorresse de fato o respeito profundo entre todas as religiões... O ponto em comum? O Amor. Alcançar esse ponto, fazer essa religação, passa pela consciência do todo, da fé, dos próprios sentimentos, pensamentos e, enfim, por verter tudo isso em capacidade de agir coerentemente.
 
"A maioria dos habitantes do planeta declara-se crente.
Isso deveria provocar um diálogo entre todas as religiões", diz o Papa.
 
"Eu acredito no amor" - declaram os religiosos no vídeo. A matemática é simples, os que creem no amor são a maioria. Isso exige mesmo um debate sobre o poder do Amor.
 
O Amor, esse sentimento-valor que é o protagonista de todas as tramas, seja por tenebrosa falta ou iluminada manifestação.... E cuja sina é ser "invisível", porque está em todo lugar. No afã de fazer parte desse todo perfeito, e se unir ao poderoso e precioso Amor, o ser humano criou, e recria diariamente, suportes físicos simbólicos, formais, sensoriais, comportamentais e, acima de tudo, ilusórios, para O conter. A "forma sagrada" do Amor, criada artificialmente, é frágil, e precisa lutar para sobreviver separada do todo real.
Fico pensando que a forma artificial do sagrado - através da ação cotidiana dos crentes, inconscientes dessa artificialidade -,  tem excluído a possibilidade de outra forma sagrada qualquer - e daí viria a necessidade ou desejo de destruição do Outro. Destruição do que se apresenta formalmente diferente de si, daquele que ameaça a "Minha" forma de ver e fazer, criada para conectar-me com o "Meu Amor", "Meu Amor Único", o "Único Possível"... Com tal abordagem ilógica, o ser humano tem criado uma realidade recheada de violência.
---

 
Estamos vivendo um tempo privilegiado de mudanças, que vem de todas as direções. Mas, principalmente, a reboque do domínio de tecnologias impensáveis há alguns anos atrás. 
 
A chamada do Papa Francisco, via YouTube, para os crentes reunirem-se em oração, demonstra o que é usar a tecnologia com um propósito definido e de forma eficiente. Clama pela necessidade de se cultivar o mundo interior para transformar a realidade. E usar da realidade para alcançar seu objetivo.
 
O meio de transmitir a mensagem? O mesmo onde se publicam sandices inomináveis... Esse contexto deixa entender que os suportes tecnológicos, assim como os símbolos religiosos, são neutros. Somos nós que lhes adicionamos valor.
 
Para a maioria da humanidade, então, que se declara crente, faz todo o sentido ouvir essa mensagem e dar atenção ao poder do AMOR no ORAR JUNTO, instaurando uma leveza na alma e buscando/encontrando no "invisível" as forças para agir focados no cerne da questão: AMOR = Somos Um.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Um dia a gente aprende

Atribuido a W illiam Shakespeare Depois de algum tempo você aprende a diferença, a sutil diferença entre dar a mão e acorrentar uma alma. E você aprende que amar não significa apoiar-se, e que companhia nem sempre significa segurança ou proximidade. E começa aprender que beijos não são contratos, tampouco promessas de amor eterno. Começa a aceitar suas derrotas com a cabeça erguida e olhos radiantes, com a graça de um adulto – e não com a tristeza de uma criança. E aprende a construir todas as suas estradas no hoje, pois o terreno do amanhã é incerto demais para os planos, ao passo que o futuro tem o costume de cair em meio ao vão. Depois de um tempo você aprende que o sol pode queimar se ficarmos expostos a ele durante muito tempo. E aprende que não importa o quanto você se importe: algumas pessoas simplesmente não se importam… E aceita que não importa o quão boa seja uma pessoa, ela vai ferí-lo de vez em quando e, por isto, você precisa estar sempre disposto a pedoá-la. Aprende que f

Consagracao do Aposento

Gostaria de oferecer uma prece já conhecida e consagrada pelo Circulo Esotérico da Comunhão do Pensamento,   a Consagração do aposento. Mas proponho que ao afirma-la, cada um se veja no centro de um círculo que forma ao redor de si “um aposento”, um lugar especial dentre de cada um de nós mesmos.  Um círculo que cresce e se expande a medida que nos purificamos e nos tornamos projeções mais perfeitas do poder, sabedoria e amor de Deus. Que  envolve aos poucos aqueles com quem nos relacionamos e vai se ampliando e tocando os círculos iluminados daqueles com que cooperamos, formando um círculo cada vez maior de Paz e Harmonia. CONSAGRAÇÃO DO APOSENTO Dentro do Círculo Infinito da Divina Presença que me envolve inteiramente Afirmo: Há uma só presença aqui: é a presença da Harmonia, que faz vibrar todos os corações de Felicidade e Alegria. Quem quer que aqui entre, sentirá as vibrações da Divina Harmonia. Há uma só presença aqui: é a do Amor. Deus é Am

A tríade Pensar, Sentir e Agir

Estes três vértices formam o triangulo magico da Criação, que envolve sempre Ideia, sentimento e ação. Existe uma estreita correlação entre eles , de tal forma que quando um deles é  acionado desencadeia reação nos demais. O pensamento gera sentimento, que provoca ação, a ação provoca sentimento e reflexão , o sentiment o dependente da criação mental e da iniciativa. Qual o motor que costumamos usar em nossas vidas? Ação desenfreada e irrefletida, rompantes destruidores sem a analise cautelosa da razão? Turbilhões de imagens mentais que incendeiam as emoções ? Sentimentos nebulosos de magoa ou paixões desenfreadas , confund indo a  a razão   e a  visão  da realidade? Os sábios antigos comparavam o homem com uma carruagem. O Cocheiro representa a mente, Os Cavalos Representam o coração e as emoções, A Charrete com sua mecânica, representa o Corpo Físico. Quem está no comando desta carruagem? A carruagem move-se desgovernada seguindo ladeira abaixo, carr