Pular para o conteúdo principal

A vela que sustenta e dá vida à faísca



As faiscas das idéias e inspirações incendeiam a mente e o coração estimulando as realizacoes.
Inspirado na parábola da Vela e o fósforo.

Dizem que certo dia, um palito de  fósforo disse à vela

– “Vela, tenho a missão de acender-te.”
– “Oh, não” – respondeu, assustada, a vela. – “Se me acenderes, meus dias estarão contados. Jamais ninguém poderá ver a beleza da minha forma e da minha cor…Que será de mim?”
O fósforo, então, confuso com a resposta,

perguntou à apavorada vela:
– “É isso o que desejas? Queres permanecer o resto de tua vida fria, dura e sem ser acesa?”
– “Mas ser acesa? Arder? Isso dói e consome minha força,” – murmurou a vela, lamentando-se, cheia de medo.

– “Tens razão,” respondeu o fósforo. – “Mas esse é o mistério de tua vida e de tua nobre missão. Tu e eu fomos criados para ser luz. O que posso fazer, como fósforo, é muito pouco. Mas, ao passar meu fogo para ti, cumpro o sentido de minha vida. Fizeram-me exatamente para isso: acender o fogo. Tu, por sua vez, és vela. Tua missão é irradiar luz. Enquanto te consomes, tua dor e tua energia se transformarão em luz e calor, e, por isso, necessitamos de ti e não iremos, jamais, esquecer-te. Outras velas levarão adiante a luz, mas se tu recusares, morrerás e serás esquecida.”

A vela, nesse instante da conversa, abriu os olhos amplamente e, apontando firmemente para o seu pavio, disse ao fósforo, ainda que tremendo:

– “Por favor, acende-me!

A faisca é efêmera, curta e intensa, assim como as idéias que produzem impulsos e iniciativas. Nascem dos atritos e conflitos e da luta pela libertacao, produzindo faiscas curtas de percepcao. Representam a criatividade que se não for sustentada pela experiência da construção apaga-se sem deixar grandes marcas.

A vela representa o processo gradual da experiência, que dissolve aos poucos as dificuldades mantendo a chama inicial que a iluminou.

Sem solavancos a chama se estabiliza no combustível da parafina e se sustenta na plenitude e na estabilidade.

Mas é preciso curvar um pouco o pavio e ficar quietinho por um tempo e deixar a chama se aproximar e queimar seu  tecido. Em seguida é preciso aderir à esta chama.

Uma vez acesa sua vela, a chama ganha vida e passa a lhe pertencer.

Podemos também nos tornar Inspiração para aos outros, quando nossa chama se estabiliza.
Assim,  a mente deve buscar na reflexao e na prece a chama que inspira a decisão, e na firmeza dos passos a construção da forma recebida pela inspiração.

A mais sabia das preces é aquela que clama por orientação e inspiração curvando-se para recebe-la e a mais sabia das atitudes é dar vida a estas inspiracoes alimentando-as e fazendo-se merecedor da graça recebida.

Assim é o fogo das paixões e dos relacionamentos, chamas espalhadas ao vendo que quando atingem uma mente fértil as incendeiam e se propagam ganhando vida longa...

Se você gostou deste texto fique a vontade para compartilhar com os amigos. Mas não esqueça de mencionar a fonte.



 Siga-nos e Leveconsciencia

cadastre-se (1)
Perfil Jsps

Comentários

Postar um comentário

Gostou do texto?
Comente e compartilhe

Postagens mais visitadas deste blog

Um dia a gente aprende

Atribuido a W illiam Shakespeare Depois de algum tempo você aprende a diferença, a sutil diferença entre dar a mão e acorrentar uma alma. E você aprende que amar não significa apoiar-se, e que companhia nem sempre significa segurança ou proximidade. E começa aprender que beijos não são contratos, tampouco promessas de amor eterno. Começa a aceitar suas derrotas com a cabeça erguida e olhos radiantes, com a graça de um adulto – e não com a tristeza de uma criança. E aprende a construir todas as suas estradas no hoje, pois o terreno do amanhã é incerto demais para os planos, ao passo que o futuro tem o costume de cair em meio ao vão. Depois de um tempo você aprende que o sol pode queimar se ficarmos expostos a ele durante muito tempo. E aprende que não importa o quanto você se importe: algumas pessoas simplesmente não se importam… E aceita que não importa o quão boa seja uma pessoa, ela vai ferí-lo de vez em quando e, por isto, você precisa estar sempre disposto a pedoá-la. Aprende que f

Consagracao do Aposento

Gostaria de oferecer uma prece já conhecida e consagrada pelo Circulo Esotérico da Comunhão do Pensamento,   a Consagração do aposento. Mas proponho que ao afirma-la, cada um se veja no centro de um círculo que forma ao redor de si “um aposento”, um lugar especial dentre de cada um de nós mesmos.  Um círculo que cresce e se expande a medida que nos purificamos e nos tornamos projeções mais perfeitas do poder, sabedoria e amor de Deus. Que  envolve aos poucos aqueles com quem nos relacionamos e vai se ampliando e tocando os círculos iluminados daqueles com que cooperamos, formando um círculo cada vez maior de Paz e Harmonia. CONSAGRAÇÃO DO APOSENTO Dentro do Círculo Infinito da Divina Presença que me envolve inteiramente Afirmo: Há uma só presença aqui: é a presença da Harmonia, que faz vibrar todos os corações de Felicidade e Alegria. Quem quer que aqui entre, sentirá as vibrações da Divina Harmonia. Há uma só presença aqui: é a do Amor. Deus é Am

A tríade Pensar, Sentir e Agir

Estes três vértices formam o triangulo magico da Criação, que envolve sempre Ideia, sentimento e ação. Existe uma estreita correlação entre eles , de tal forma que quando um deles é  acionado desencadeia reação nos demais. O pensamento gera sentimento, que provoca ação, a ação provoca sentimento e reflexão , o sentiment o dependente da criação mental e da iniciativa. Qual o motor que costumamos usar em nossas vidas? Ação desenfreada e irrefletida, rompantes destruidores sem a analise cautelosa da razão? Turbilhões de imagens mentais que incendeiam as emoções ? Sentimentos nebulosos de magoa ou paixões desenfreadas , confund indo a  a razão   e a  visão  da realidade? Os sábios antigos comparavam o homem com uma carruagem. O Cocheiro representa a mente, Os Cavalos Representam o coração e as emoções, A Charrete com sua mecânica, representa o Corpo Físico. Quem está no comando desta carruagem? A carruagem move-se desgovernada seguindo ladeira abaixo, carr