Pular para o conteúdo principal

INDETERMINAÇÃO




Certa vez Einstein disse que a teoria quântica lhe sugeria "um sistema de ilusões de um paranoico extremamente inteligente, maquinado a partir de elementos de pensamentos incoerentes". Mas, é justamente aí, no cunhar de uma nova estrutura conceitual para a nova física, que está o verdadeiro desafio cultural da ciência moderna. As informações, contidas nesta aula, foram extraídas do livro de Danah Zohar, o Ser Quântico.

É difícil perder os velhos hábitos culturais ou intelectuais. As categorias newtonianas de tempo, espaço, matéria e causalidade impregnaram tão profundamente toda nossa percepção de realidade que emprestam sua cor e todos os aspectos de nossa forma de pensar sobre a vida, e não é fácil imaginar um mundo que seja diferente de tudo que até então era considerado real.

A mais revolucionária e, para nossos fins, a mais importante afirmação que a física quântica faz acerca da natureza da matéria, e talvez do próprio ser, provém da sua descrição de dualidade onda-partícula, quando afirma que todo ser, no nível subatômico, pode ser igualmente descrito como partículas sólidas ou como ondas.

Mais que isto, a física quântica prossegue dizendo que tanto o aspecto onda como o aspecto partícula devem ser levados em conta quando se procura compreender a natureza das coisas. A "substância" quântica é, essencialmente, ambos: o aspecto onda e o aspecto partícula simultaneamente.

De uma forma jocosa, afirma sir William Bragg que as partículas elementares parecem ser ondas nas segundas, quartas e sextas e partículas nas terças, quintas e sábados. 

Na física de Newton presumia-se que o ser, em seu nível mais básico e indivisível, consistia em partículas pequeninas e distintas entre si, e os átomos que colidem, se atraem e se repelem uns aos outros. Enquanto, os movimentos de onda, como o da luz, eram considerados vibrações que ocorriam numa espécie de gelatina, não sendo coisas fundamentais por si mesmas. Era assim que, ondas e partículas tinham o seu papel dentro da física newtoniana, sendo as partículas consideradas mais básicas, e delas é que a matéria se formava.

No entanto, para a física quântica, tanto ondas como partículas são igualmente fundamentais. Uma e outra são formas pelas quais a matéria se manifesta, e as duas juntas são o que a matéria é.
    Segundo o Princípio da Incerteza de Heisenberg, as descrições do ser como onda e como partícula se excluem mutuamente. Embora ambas sejam necessárias á compreensão geral do que seja o ser, somente uma está disponível num determinado momento do tempo. 
    Consegue-se medir ou a exata posição de algo, como um elétron, quando ele se manifesta como partícula ou se expressa como onda, mas nunca se consegue fazer a medida exata de ambas ao mesmo tempo. 
 
É como se estivéssemos eternamente condenados a enxergar sombras em meio à neblina. Esta realidade, para a física quântica, é a eterna realidade, não existe outra. Os físicos Niels Bohr e Werner Heisenberg argumentam que a realidade em si é essencialmente indeterminada, tudo é uma questão de probabilidades. 

Einstein nunca concordou inteiramente com isto, pois alegava que Deus não joga dados com o Universo. Mas, não só Einstein, muitos outros físicos, inclusive quânticos, têm dificuldades de aceitar e entender esse indeterminismo.

E querem que nós seres comuns possamos entender tantas incertezas e indeterminações? Só louco, ou quase!

E quanto ao jogo de dados no cassino do Céu, pode ser que Deus já saiba previamente todos os resultados, antes mesmo de lançar os dados. Se assim for todos têm razão, tanto Einstein, como Bohr e Heisenberg. 
     
Gilberto Gonçalves
07/11/2021

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

A tríade Pensar, Sentir e Agir

Estes três vértices formam o triangulo magico da Criação, que envolve sempre Ideia, sentimento e ação. Existe uma estreita correlação entre eles , de tal forma que quando um deles é  acionado desencadeia reação nos demais. O pensamento gera sentimento, que provoca ação, a ação provoca sentimento e reflexão , o sentiment o dependente da criação mental e da iniciativa. Qual o motor que costumamos usar em nossas vidas? Ação desenfreada e irrefletida, rompantes destruidores sem a analise cautelosa da razão? Turbilhões de imagens mentais que incendeiam as emoções ? Sentimentos nebulosos de magoa ou paixões desenfreadas , confund indo a  a razão   e a  visão  da realidade? Os sábios antigos comparavam o homem com uma carruagem. O Cocheiro representa a mente, Os Cavalos Representam o coração e as emoções, A Charrete com sua mecânica, representa o Corpo Físico. Quem está no comando desta carruagem? A carruagem move-se desgovernada seguindo ladeira abaixo, carr

Consagracao do Aposento

Gostaria de oferecer uma prece já conhecida e consagrada pelo Circulo Esotérico da Comunhão do Pensamento,   a Consagração do aposento. Mas proponho que ao afirma-la, cada um se veja no centro de um círculo que forma ao redor de si “um aposento”, um lugar especial dentre de cada um de nós mesmos.  Um círculo que cresce e se expande a medida que nos purificamos e nos tornamos projeções mais perfeitas do poder, sabedoria e amor de Deus. Que  envolve aos poucos aqueles com quem nos relacionamos e vai se ampliando e tocando os círculos iluminados daqueles com que cooperamos, formando um círculo cada vez maior de Paz e Harmonia. CONSAGRAÇÃO DO APOSENTO Dentro do Círculo Infinito da Divina Presença que me envolve inteiramente Afirmo: Há uma só presença aqui: é a presença da Harmonia, que faz vibrar todos os corações de Felicidade e Alegria. Quem quer que aqui entre, sentirá as vibrações da Divina Harmonia. Há uma só presença aqui: é a do Amor. Deus é Am

Um dia a gente aprende

De  William Shakespeare Depois de algum tempo você aprende a diferença, a sutil diferença entre dar a mão e acorrentar uma alma. E você aprende que amar não significa apoiar-se, e que companhia nem sempre significa segurança ou proximidade. E começa aprender que beijos não são contratos, tampouco promessas de amor eterno. Começa a aceitar suas derrotas com a cabeça erguida e olhos radiantes, com a graça de um adulto – e não com a tristeza de uma criança. E aprende a construir todas as suas estradas no hoje, pois o terreno do amanhã é incerto demais para os planos, ao passo que o futuro tem o costume de cair em meio ao vão. Depois de um tempo você aprende que o sol pode queimar se ficarmos expostos a ele durante muito tempo. E aprende que não importa o quanto você se importe: algumas pessoas simplesmente não se importam… E aceita que não importa o quão boa seja uma pessoa, ela vai ferí-lo de vez em quando e, por isto, você precisa estar sempre disposto a pedoá-la. Aprende que falar pode