Pular para o conteúdo principal

O crítico e o construtor

critica

Existem dois personagens muito interessantes que de alguma forma interferem  ou influenciam a vida das pessoas. Um deles é o critico e o outro o construtor ou arquiteto. Mas existe uma diferença fundamental entre eles, pois enquanto o crítico é capaz de apontar com detalhes as falhas alheias, o construtor é aquele que não apenas enxerga o problema, mas também está disposto a ajudar a construir uma nova realidade.

O crítico é o dedo que aponta para todos como um julgador implacável, gerando incomodo, desconforto e aborrecimento, que na maioria das vezes provoca reações desagradáveis nas pessoas. Ele não está interessado em colaborar com a solução, muito pelo contrário faz parte do problema porque com suas criticas aumenta a tensão. Ele não acredita que as pessoas possam modificar suas atitudes e simplesmente se torna um opositor ferrenho e chato.

O construtor observa as falhas alheias, mas entende que as pessoas vão precisar de tempo e muito esforço para mudar e ele está disposto a ajuda-las assim que elas estiverem prontas para isso. O construtor sabe que é preciso um longo caminho para transformar alguma coisa colocando pedra sobre pedra, degrau por degrau até que a obra ganhe nova forma.  Não adianta dar marretadas e derrubar o que existe sem que tenha um plano ou um projeto de construção. Então este mestre experiente na vida estará sempre disposto a ajudar aqueles que de fato estão dispostos a fazer esta transformação e lhe pedem ajuda.

O crítico é o dono da verdade e tem solução para tudo e para todos, acreditando que sabe a forma certa de fazer, e se as pessoas não fazem segundo sua crença e seus valores elas simplesmente as descarta e se poe a criticar.  Ele não respeita o direito que todos herdaram do Grande Arquiteto de construírem suas próprias vidas seguindo seus próprios caminhos, mesmo que a custa de erros e fracassos até que por si mesmas possam compreender a verdade e a justiça.


Resultado de imagem para desenhando escadas

O construtor pelo contrario, é um facilitador para aqueles que com ele convivem. Ele está sempre mostrando o caminho através do seu exemplo e da sua simplicidade, tratando com carinho e cuidado aqueles que insistem em permanecer no erro, mas jamais lhes apontando as falhas de forma contundente.  É como se ele dissesse para as pessoas em silencio. - Na hora que você precisar eu estarei aqui para lhe mostrar como eu fiz, e que deu certo para mim.

Mas na verdade o problema dos críticos é que eles tem grande medo da crítica, pois eles mesmos ainda não experimentaram o remédio que recomendam e não sabem como resolver seus próprios problemas. No fundo eles são os maiores críticos de si mesmos e como não reconhecem suas próprias fraquezas, vestem este personagem para consertar o mundo sem saber que o que precisam mesmo é consertar a si mesmos.

Um dia o critico também encontrará o arquiteto e se renderá a sua suave maneira de ensinar o caminho. Mas para isso ele precisa primeiro encontrar sua própria sombra... E isto é muito doloroso para para qualquer um, descobrir que aquilo que ele vê com tanta facilidade nos outros existe e
persiste dentre dele mesmo..

Mas todo arquiteto é paciente, doce e tolerante pois ele um dia também foi um crítico.
Então, qual destes você prefere ser ?

Saiba que ser um arquiteto ou construtor, embora seja compensador, dá muito trabalho, pois é um caminho muito estreito e sofrido, mas que leva você a se tornar a transformação que você quer ver no mundo.

Que tal começar agora ?


Se voce gostou do texto vai gostar deste também:

historias da vida
CENAS DO COTIDIANO - Um personagem que conhecemos, seja real ou não, pode ser mesmo de uma novela, ou de um livro, um vizinho ou uma amiga, ao desempenhar o seu papel diante de nós, pode nos influenciar . Ele pode parecer apenas uma figura externa, mas aos poucos pode ganhar vida própria também dentro de nós...

Se gostou do texto fique a vontade para deixar seu comentário.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

A tríade Pensar, Sentir e Agir

Estes três vértices formam o triangulo magico da Criação, que envolve sempre Ideia, sentimento e ação. Existe uma estreita correlação entre eles , de tal forma que quando um deles é  acionado desencadeia reação nos demais. O pensamento gera sentimento, que provoca ação, a ação provoca sentimento e reflexão , o sentiment o dependente da criação mental e da iniciativa. Qual o motor que costumamos usar em nossas vidas? Ação desenfreada e irrefletida, rompantes destruidores sem a analise cautelosa da razão? Turbilhões de imagens mentais que incendeiam as emoções ? Sentimentos nebulosos de magoa ou paixões desenfreadas , confund indo a  a razão   e a  visão  da realidade? Os sábios antigos comparavam o homem com uma carruagem. O Cocheiro representa a mente, Os Cavalos Representam o coração e as emoções, A Charrete com sua mecânica, representa o Corpo Físico. Quem está no comando desta carruagem? A carruagem move-se desgovernada seguindo ladeira abaixo, carr

A vida é uma dança

Quando uma porta se fecha, outra se abre; quando um caminho termina, outro começa… nada é estático no Universo, tudo se move sem parar e tudo se transforma sempre para melhor. Habitue-se a pensar desta forma: tudo que chega é bom, tudo que parte também.  É a dança da vida… dance-a da forma como ela se apresentar, sem apego ou resistência. Não se apavore com as doenças… elas são despertadores, têm a missão de nos acordar. De outra forma permaneceríamos distraídos com as seduções do mundo material, esquecidos do que viemos fazer neste planeta. O universo nos mandou aqui para coisas mais importantes do que comer, dormir, pagar contas… Viemos para realizar o Divino em nós. Toda inércia é um desserviço à obra divina. Há um mundo a ser transformado, seu papel é contribuir para deixá-lo melhor do que você o encontrou. Recursos para isso você tem, só falta a vontade de servir a Deus servindo aos homens. Não diga que as pessoas são difíceis e que convivência entre seres humanos

O Ritmo do Trabalho

Primeiramente gostaria de agradecer a todos que se interessam por esta leitura e dizer que tudo que falarei aqui é de minha inteira responsabilidade. São minhas crenças pessoais, fruto de meus estudos e reflexões, mas que não devem ser levadas como verdades absolutas, porque nem mesmo eu as tenho desta forma. Eu vos convido a refletir comigo, se permitindo o direito de observar pelo menos por alguns momentos, certas questões que serão apresentadas,  por uma visão diferente e talvez contraditória a sua própria visão. Durante todo este mês estaremos debatendo este tema e gostaríamos de convida-lo a deixar seus comentários e reflexões no final do texto clicando em novo comentário e acompanhar as respostas e sugestões dos demais. Não estranhem o fato de que teremos mais perguntas do que respostas, mais reflexões do que formulações prontas, pois as perguntas parecem contribuir mais para o aprendizado do que as afirmações. Quem de nós pode de fato afirmar alguma coisa,