Pular para o conteúdo principal

A lenda de dois amantes separados

Acordamos todas as manhãs sobre a luz brilhante do sol que ilumina aos poucos a escuridão da noite, revelando a magia das cores, o perfume das flores e a clareza dos riachos. Os caminhos ficam límpidos e brilhantes e podemos levantar e caminhar pela nossa estrada.

Ao entardecer o sol se põe e aos poucos dá lugar a escuridão da noite. A lua então toma o seu lugar trazendo com as sombras da noite doçura para os corações e descanso para as mentes.

Diz a lenda que o sol e a lua são dois amantes que foram condenados por uma feiticeira a jamais se encontrarem. Ele ficou aprisionado no dia e ela, aprisionada na noite. Quando ele está de plantão ela se recolhe e a noite ela brilha enquanto ele se oculta.

Assim, vivemos intercalando entre as sombras do inconsciente e o brilho ofuscante da consciência plena.

De dia fazemos planos, agimos e realizamos, buscamos controlar as coisas e fazer a nossa vontade… Vivenciamos situações alegres ou tristes, obtemos êxito ou não… Descartamos o que não gostamos como detritos indesejáveis e nos agarramos  ao que nos agrada…

Mas tudo fica registrado no grande subterrâneo do inconsciente e o sono da consciência cansada como um animal ruminante, traz a tona os detritos para serem reciclados…

A luz do novo dia traz de volta a consciência e do sono da noite fica apenas uma leve pressão que vem dos subterrâneos da mente, influenciando as nossas emoções e decisões…

A medida que a vida consciente se desenrola, absorvemos o que podemos, mas as memórias dos porões não param de crescer e influenciar nossas atitudes.

Mas as visitas ao porão do inconsciente só podem contar com a tênue luz da consciência  adormecida, pois o sol da consciência ofuscaria as noites escuras da alma…

Mas segundo a lenda, há um dia, um único e mágico dia em que os amantes podem se encontrar em pleno Céu. São as noites de eclipse… Nestes dias os deuses permitem por alguns instantes que as sombras do luar possam se encontrar com a luz do sol.

Então, a consciência vivência um misto de sono acordado… As imagens do inconsciente iluminadas pela doce luz da noite vem a tona diante do testemunho da consciência semidesperta que pode assim assimilar e reciclar seus detritos.

Este estado de vigília, meio hipnótico e mágico alia um misto de observação e aceitação….

O observador e a coisa observada se reintegram e se reconciliam, e desta união nasce a paz da integridade, a sensação de ser ao mesmo tempo uma pequena partícula e uma gigantesca onda…

Participe desta forte corrente positiva. Clique na imagem abaixo para acessar.



Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

A vida é uma dança

Quando uma porta se fecha, outra se abre; quando um caminho termina, outro começa… nada é estático no Universo, tudo se move sem parar e tudo se transforma sempre para melhor. Habitue-se a pensar desta forma: tudo que chega é bom, tudo que parte também.  É a dança da vida… dance-a da forma como ela se apresentar, sem apego ou resistência. Não se apavore com as doenças… elas são despertadores, têm a missão de nos acordar. De outra forma permaneceríamos distraídos com as seduções do mundo material, esquecidos do que viemos fazer neste planeta. O universo nos mandou aqui para coisas mais importantes do que comer, dormir, pagar contas… Viemos para realizar o Divino em nós. Toda inércia é um desserviço à obra divina. Há um mundo a ser transformado, seu papel é contribuir para deixá-lo melhor do que você o encontrou. Recursos para isso você tem, só falta a vontade de servir a Deus servindo aos homens. Não diga que as pessoas são difíceis e que convivência entre seres humanos

A tríade Pensar, Sentir e Agir

Estes três vértices formam o triangulo magico da Criação, que envolve sempre Ideia, sentimento e ação. Existe uma estreita correlação entre eles , de tal forma que quando um deles é  acionado desencadeia reação nos demais. O pensamento gera sentimento, que provoca ação, a ação provoca sentimento e reflexão , o sentiment o dependente da criação mental e da iniciativa. Qual o motor que costumamos usar em nossas vidas? Ação desenfreada e irrefletida, rompantes destruidores sem a analise cautelosa da razão? Turbilhões de imagens mentais que incendeiam as emoções ? Sentimentos nebulosos de magoa ou paixões desenfreadas , confund indo a  a razão   e a  visão  da realidade? Os sábios antigos comparavam o homem com uma carruagem. O Cocheiro representa a mente, Os Cavalos Representam o coração e as emoções, A Charrete com sua mecânica, representa o Corpo Físico. Quem está no comando desta carruagem? A carruagem move-se desgovernada seguindo ladeira abaixo, carr

O Ritmo do Trabalho

Primeiramente gostaria de agradecer a todos que se interessam por esta leitura e dizer que tudo que falarei aqui é de minha inteira responsabilidade. São minhas crenças pessoais, fruto de meus estudos e reflexões, mas que não devem ser levadas como verdades absolutas, porque nem mesmo eu as tenho desta forma. Eu vos convido a refletir comigo, se permitindo o direito de observar pelo menos por alguns momentos, certas questões que serão apresentadas,  por uma visão diferente e talvez contraditória a sua própria visão. Durante todo este mês estaremos debatendo este tema e gostaríamos de convida-lo a deixar seus comentários e reflexões no final do texto clicando em novo comentário e acompanhar as respostas e sugestões dos demais. Não estranhem o fato de que teremos mais perguntas do que respostas, mais reflexões do que formulações prontas, pois as perguntas parecem contribuir mais para o aprendizado do que as afirmações. Quem de nós pode de fato afirmar alguma coisa,