Pular para o conteúdo principal

Chakras


O termo chakra é uma palavra sânscrita, que significa roda. Da mesma forma como falamos da roda do destino ou da fortuna, assim também os budistas falam da roda da vida e da morte. 

Nas conversações comuns e superficiais, o homem costuma falar da sua alma, como se o corpo, por intermédio do qual ele fala, fosse o seu verdadeiro ser, e que a alma, uma propriedade ou feudo do corpo, algo semelhante a um globo cativo a flutuar sobre o corpo, a ele ligado de certo modo. 

Esta afirmação é vaga, inexata e errônea, pois a inversa é que é verdadeira. O ser humano é uma alma que possui um corpo. Ou em realidade vários corpos, porque além do corpo visível, por cujo meio desenvolve suas ações no mundo físico, tem outros corpos invisíveis à visão da grande maioria. 

Os chakras são pontos de conexão ou enlace pelos quais flui a energia de um a outro veículo. Quem quer que possua um ligeiro grau de clarividência, pode vê-los facilmente no duplo etérico, em cuja superfície aparecem sob forma de depressões semelhantes a pratinhos ou vórtices.

SITUAÇÃO            
NOME SANSCRITO    
NOME EM PORTUGUÊS

Na base da espinha dorsal              
Muladhara            
Chakra rais ou básico    

Não está indicado na Índia
Chakra do baço

No umbigo sobre o plexo        
Manipura            
Chakra do umbigo

Sobre o coração            
Anahata            
Chakra do coração

Na frente da garganta        
Vishuddha            
Chakra laríngeo

Entre as sobrancelhas        
Ajna                
Chakra frontal

No alto da cabeça            
Sahasrara            
Chakra coronário         

Os chakras se dividem em 3 grupos: inferior, médio e superior, que podem denominar-se respectivamente: fisiológico, pessoal e espiritual.    

Os primeiro e segundo chakras têm poucos raios ou pétalas, e sua função é transferir para o corpo duas forças procedentes do plano físico. Uma delas é o fogo serpentino da terra, e a outra é a vitalidade do sol.

Os, terceiro, quarto e quinto centros, que constituem o grupo médio, estão relacionados com forças que o ego recebe por meio da personalidade. O terceiro chakra as transfere através da parte inferior do corpo astral, o quarto por meio da parte superior do mesmo corpo, e o quinto pelo corpo mental. Todos estes chakras alimentam determinados gânglios nervosos do corpo denso. 

Os chakras sexto e sétimo são independentes dos demais, estando relacionados com o corpo pituitário e a glândula pineal, e somente se põem em ação quando o homem alcança certo grau de evolução espiritual.     
                    
CHAKRA FUNDAMENTAL

O primeiro chakra, o fundamental, está situado na base da espinha dorsal, recebendo uma energia primária que emite 4 raios. Quando atua vigorosamente, é de ígnea cor vermelho-alaranjada, em íntima correspondência com o tipo de vitalidade que lhe transfere o chakra esplênico. De fato, cada chakra apresenta correspondência com a cor de sua vitalidade.
                    
CHAKRA ESPLÊNICO

O segundo chakra está situado no baço, e sua função é especializar, subdividir e difundir a vitalidade do sol. Esta vitalidade surge subdividida em sete modalidades; seis correspondem aos seis raios do chakra, e a sétima fica concentrada no cubo da roda. 

Este chakra, portanto, tem seis pétalas ou ondulações de diversas cores, e é muito radiante pois fulge como o sol. Em cada uma das seis subdivisões da roda predomina a cor de uma das modalidades da energia vital. Estas cores são vermelha, alaranjada, amarela, verde, azul e violácea.
                    
CHAKRA UMBILICAL
    
O terceiro chakra está situado no umbigo ou plexo solar, e recebe a energia primária  que se subdivide em dez radiações, vibrando como se estivesse dividido em dez ondulações ou pétalas. 
    
Este chakra está intimamente relacionado com sentimentos e emoções. Sua cor predominante é uma curiosa combinação de vários matizes do vermelho, ainda que contendo muito do verde. 
                    
                    
CHAKRA CARDÍACO
    
O quarto chakra está situado no coração, sendo de uma brilhante cor de ouro, e sua energia primária está subdividida em doze raios. Como não podia deixar de ser, este chakra está intimamente relacionado com o amor, em todas as suas possíveis variantes.

                    
CHAKRA LARÍNGEO                        
    
O quinto chakra está situado na garganta e possui em seus raios dezesseis modalidades de energia. Embora haja bastante do azul em sua cor, o tom predominante é o prateado brilhante, parecido com a luz da lua quando se reflete sobre o mar. Em seus raios predominam o azul e o verde. 

                    
CHAKRA FRONTAL
    
O sexto chakra está situado entre as sobrancelhas, e parece dividido em duas partes, uma em que predomina a cor rosada, com tons amarelados e outra em que se sobressai uma espécie de azul-purpúreo. Ambas as cores correspondem as da vitalidade que o chakra recebe. Por isso, para muitos, esse chakra somente tem duas pétalas, mas se observarmos as ondulações análogas às dos chakras anteriores, veremos que cada metade está subdividida em quarenta e oito ondulações, o que corresponde a noventa e seis, no total de ondulações. 
    
                    
CHAKRA CORONÁRIO
    
O sétimo chakra, situado no alto da cabeça, é o mais refulgente de todos, quando está em plena atividade, por oferecer abundância de indescritíveis efeitos cromáticos e vibrar com quase inconcebível rapidez. Assim, parece conter todos os matizes do espectro, ainda que no conjunto predomine o violeta. 
    
No princípio, este chakra não difere em tamanho dos demais, mas à medida que o homem se aperfeiçoa espiritualmente, ele vai aumentando pouco a pouco, até cobrir toda a parte superior da cabeça. 
    
Na criatura muito evoluída, o chakra coronário revela tamanho esplendor que se assemelha a uma coroa, simbolizando a magnífica energia acumulada a serviço do Logos.

Gilberto Gonçalves 

Comentários

Postar um comentário

Gostou do texto?
Comente e compartilhe

Postagens mais visitadas deste blog

A tríade Pensar, Sentir e Agir

Estes três vértices formam o triangulo magico da Criação, que envolve sempre Ideia, sentimento e ação. Existe uma estreita correlação entre eles , de tal forma que quando um deles é  acionado desencadeia reação nos demais. O pensamento gera sentimento, que provoca ação, a ação provoca sentimento e reflexão , o sentiment o dependente da criação mental e da iniciativa. Qual o motor que costumamos usar em nossas vidas? Ação desenfreada e irrefletida, rompantes destruidores sem a analise cautelosa da razão? Turbilhões de imagens mentais que incendeiam as emoções ? Sentimentos nebulosos de magoa ou paixões desenfreadas , confund indo a  a razão   e a  visão  da realidade? Os sábios antigos comparavam o homem com uma carruagem. O Cocheiro representa a mente, Os Cavalos Representam o coração e as emoções, A Charrete com sua mecânica, representa o Corpo Físico. Quem está no comando desta carruagem? A carruagem move-se desgovernada seguindo ladeira abaixo, carr

Um dia a gente aprende

De  William Shakespeare Depois de algum tempo você aprende a diferença, a sutil diferença entre dar a mão e acorrentar uma alma. E você aprende que amar não significa apoiar-se, e que companhia nem sempre significa segurança ou proximidade. E começa aprender que beijos não são contratos, tampouco promessas de amor eterno. Começa a aceitar suas derrotas com a cabeça erguida e olhos radiantes, com a graça de um adulto – e não com a tristeza de uma criança. E aprende a construir todas as suas estradas no hoje, pois o terreno do amanhã é incerto demais para os planos, ao passo que o futuro tem o costume de cair em meio ao vão. Depois de um tempo você aprende que o sol pode queimar se ficarmos expostos a ele durante muito tempo. E aprende que não importa o quanto você se importe: algumas pessoas simplesmente não se importam… E aceita que não importa o quão boa seja uma pessoa, ela vai ferí-lo de vez em quando e, por isto, você precisa estar sempre disposto a pedoá-la. Aprende que falar pode

Consagracao do Aposento

Gostaria de oferecer uma prece já conhecida e consagrada pelo Circulo Esotérico da Comunhão do Pensamento,   a Consagração do aposento. Mas proponho que ao afirma-la, cada um se veja no centro de um círculo que forma ao redor de si “um aposento”, um lugar especial dentre de cada um de nós mesmos.  Um círculo que cresce e se expande a medida que nos purificamos e nos tornamos projeções mais perfeitas do poder, sabedoria e amor de Deus. Que  envolve aos poucos aqueles com quem nos relacionamos e vai se ampliando e tocando os círculos iluminados daqueles com que cooperamos, formando um círculo cada vez maior de Paz e Harmonia. CONSAGRAÇÃO DO APOSENTO Dentro do Círculo Infinito da Divina Presença que me envolve inteiramente Afirmo: Há uma só presença aqui: é a presença da Harmonia, que faz vibrar todos os corações de Felicidade e Alegria. Quem quer que aqui entre, sentirá as vibrações da Divina Harmonia. Há uma só presença aqui: é a do Amor. Deus é Am